Procurando...

Todos nós nascemos equipados para aprender um idioma. Algumas pessoas demoram mais para aprender, mas em algum momento elas aprendem. Nós temos diferentes tipos de inteligência, um bom professor vai assegurar-se de que o método utilizado dê, a todos os tipos de aprendizes, as chances necessárias de aprender do seu jeito próprio. Algumas pessoas são do tipo visual verbal (aprendem lendo), algumas são do tipo não-verbal/pictórico (aprendem melhor a partir de diagramas e fluxogramas, imagens), algumas são auditivas (aprendem ouvindo), algumas são cinestésicas (aprendem fazendo), essas pessoas têm que fazer alguma coisa enquanto estão estudando, pode ser um desenho ou fazendo anotações. Na verdade estas pessoas são aquelas que aprendem fazendo as coisas, elas saem montando o armário, ao invés de ler as instruções antes. O método tradicional de aprendizado de idiomas privilegia um tipo em detrimento do outro. Por isso alguns alunos são rotulados como maus alunos, ou seja, aqueles “que não têm jeito pra línguas. E agora... QUAL É SEU TIPO?

Linugox
Sunday, August 5

A língua Italiana no mundo

Queria compartilhar com vocês uma experiência bem interessante que tive quando estava descansando um final de semana na paradisiaca ilha de Morro de São Paulo (BA).
 Uma noite, quando entrei num restaurtante, percebi que havia um grupo de três mulheres que falavam uma língua diferente, que logo conclui que deveria ser algum dialeto africano, a julgar pela aparência e pelas roupas que elas usavam. Fiquei muito curioso, pois era a primeira vez que ouvia um dialeto africano assim “in diretta”. Contudo, o mais curioso era que, em meio àquelas palavras para mim completamente incompreensíveis, saltavam algumas palavrinhas italianas do tipo “ecco”, “allora”, “va bene”. A minha curiosidade foi tanta que não aguentei e me aproximei delas, tentando, inicialmente, me comunicar em inglês, mas nenhuma delas entendia.

Nesse meio tempo, chegou uma menininha bonitinha e chamou uma delas de “mamma”, e ela lhe respondeu “dimmi, cosa vuoi?”, com um italiano, digamos, “africanizado”, com uma cadência muito dura e bem diferente do italiano falado na Itália, mas era italiano. Foi quando eu perguntei: “come mai parli italiano?”, e ela, com muita propriedade, me respondeu “é la lingua del mio paese”. O país era a Eritreia, que, para a minha total surpresa e ignorância, naquele momento, eu nem sabia (ou não me lembrava) em que parte da África ficava.

Quando cheguei em casa, a primeira coisa que fiz foi pegar meu "ANDROID" e tentar localizá-lo, assim como ler um pouco da história desse pequeno país situado no Chifre da África.

Na realidade, a Eritreia não tem uma língua em nível oficial, sendo as mais usadas pelo povo o árabe, o etíope, o inglês e o tigrínia (língua semítica etiópica, que aliás era a língua que elas estavam falando, considerada língua nacional) além de muitas outras. Mas essa informação elas não podiam me dar, pois eram pessoas muito simples. Talvez vocês estejam se perguntando, então, por que elas falavam italiano. Pois bem, após a abertura do Canal de Suez, em 1869, na época da corrida das grandes potências europeias em direção à África, a Itália invade a Eritreia, ocupando-a; em 1° de janeiro de 1890 esta torna-se oficialmente uma colônia italiana. Em 1936, será também uma província da África Oriental Italiana, juntamente com a Etiópia e a Somália Italiana, situação que permanecerá até quando as forças armadas britânicas expulsarão os italianos, em 1941. Logo, não é difícil imaginar o porquê da língua italiana ser falada por uma boa parte da população.

O ponto mais interessante disso tudo é que este fato despertou em mim certa curiosidade em saber onde é que no mundo a língua italiana era considerada oficial (ou nacional), além da Itália, Vaticano, Suíça, Malta e San Marino. Confesso que nos tempos de universidade esta questão nunca sequer foi cogitada, e a meu ver é importantíssima. De acordo com estimativas da Sociedade Linguística Internacional, atualmente no mundo existem cerca de 66.5 milhões de falantes de língua italiana, dos quais 60 milhões se encontram na Itália e 6,5 no estrangeiro. É importante ressaltar – e desse aspecto falaremos mais adiante – que os imigrantes italianos que chegaram ao Brasil entre 1875 e 1935 (cerca de 1,5 milhões) não falavam o italiano “standard” (padrão) que hoje conhecemos, mas dialetos, pois a língua italiana estava começando a se difundir naquela época.


Colocamos, a seguir, os países (continente) onde a língua italiana é oficial:
  1. Itália
  2. Suíça
  3. Eslovênia
  4. Croácia
  5. República de San Marino
  6. Vaticano
  7. União Europeia
Italiano como língua nacional ou outra língua falada:
  1. Albânia (língua estrangeira mais ensinada nas escolas)
  2. Argentina
  3. Austrália
  4. Bélgica
  5. Bósnia e Herzegovina
  6. Brasil
  7. Canadá
  8. Chile
  9. Egito
  10. Eritreia (falada em nível de segunda língua e nacional)
  11. Etiópia (usada em nível nacional)
  12. França (usada em nível regional na Córsega e em Nice.
  13. Alemanha
  14. Israel
  15. Líbia (língua oficial desde 1943; atualmente língua oficial)
  16. Liechtenstein
  17. Luxemburgo
  18. Malta (língua oficial até 1934; atualmente em nível de segunda língua e comercial)
  19. Mônaco
  20. Montenegro
  21. Paraguai
  22. Filipinas
  23. Porto Rico
  24. Romênia
  25. Arábia Saudita
  26. Somália
  27. Tunísia
  28. Emirados Árabes
  29. Reino Unido
  30. Estados Unidos (língua usada pelos emigrantes em New England e New York/New Jersey como língua regional)
  31. Uruguai
É óbvio que a razão pela qual esses países têm o italiano como língua oficial ou nacional está fortemente relacionada à história linguística do próprio país ou à emigração e ocupações/colonizações, informações que vocês podem obter pesquisando um pouquinho na rede ou nos livros de história.

Nos próximos posts abordaremos mais a questão da língua e dos dialetos na Itália. Aguardem!

Arriverderci e buono studio!


 
Ir ao TOPO!